A Inveja no Trabalho… e no Eneagrama

Inveja: O outro lado da Moeda

Nós experimentamos, por vezes sem querer, sensações que muito falamos ou sentimos, mas não temos a ideia certa de que lado elas estão vindo. Nos últimos anos, tornou-se cada vez mais evidente, que as variações nas características culturais contribuem para caminhos de desenvolvimento social neste nosso mundo cada vez mais globalizado.

A cultura interfere nos resultados e vice-versa; um comércio desenfreado, religiões diversas, laços de família, bombardeamento de informações e atitudes de risco estão entre os atributos mostrados pela humanidade nesta época que vivemos.

Este quadro faz com que tenhamos, forçosamente alterações na forma de olharmos o papel da inveja nas nossas relações. Poderíamos dizer que a diversidade das forças culturais, está influindo e orientando o comportamento humano mundial. Os sentimentos, prazeres, o amor, as relações estão se realocando, se redefinindo. A inveja também.

Durante toda a história da humanidade a inveja sempre teve um papel destacado e que nos levava aos extremos desse sentimento de duas maneiras:

  • através do aumento de esforços contínuos e próprios (inveja competitiva)
  • diminuindo o resultado de todo um grupo de referência (inveja destrutiva)

 

A inveja no Eneagrama

Estas duas definições podem se apresentar como os dois lados da inveja, os indivíduos enfrentam as características da comercialização até de sentimentos, que vai incidir na influencia que estes mesmos sentimentos vão ter ou já estão tendo nas relações humanas.  Por outro lado, já sentimos os dois lados da inveja muito presentes no dia-a-dia. Procuramos evitar a todo custo à inveja destrutiva. A forma como este assunto for sendo conduzido é que vai indicar e moldar o papel da inveja na sociedade globalizada. Os alicerces ainda se formam.

Poderíamos citar um exemplo de macro inveja, pois na medida em que um país ou um povo se desenvolve e a sua riqueza, per capta aumenta, o estímulo contínuo de competição faz com que cada um se esforce para se superar, em relação aos seus vizinhos.

O mesmo ocorre com o eneatipo 4 do Eneagrama, cuja emoção predominante é a inveja. A inveja no Eneagrama, diferente da inveja mitificada em que o “invejoso” tem os piores sentimentos da escória do mundo; os artistas (tipo 4 do Eneagrama) tem o hábito da comparação que vem do excesso de contato consigo mesmos e tem dois víeis quase que opostos:

  • A sensação de inferioridade e de ter o pior em relação a outra coisa ou alguém.
  • O autoconhecimento em decorrência do próprio excesso de contato com seus sentimentos.

No fim de tudo, aos que ainda sentem-se ludibriados pela vida, deixo a mensagem de Arthur Schopenhauer:

Ninguém é realmente digno de inveja, e tantos são dignos de lástima!

Isso mesmo. A pessoa que ainda sente forte inveja está olhando com lentes de aumento para o que ela própria não tem e/ou para o que o outro tem, sem ver as mazelas que o outro também tem. Todos temos algo a agradecer e pontos de melhoria a serem trabalhados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *