Gestão de Talentos Inteligente é realidade para você?

 

Gestão de Talentos Inteligente: Quem sabe Fazer? Quem sabe Reconhecer?

É difícil, muito difícil encontrar nas empresas pessoas que saibam fazer a gestão dos Recursos Humanos visando investir e apostar nas competências e habilidades individuais na busca da excelência da própria empresa.

Hoje o papel do homem no trabalho vem se transformando. Suas características mais humanas – o saber, a intuição e a criatividade – estão sendo valorizados.

Portanto, todos os profissionais que atuam influenciando diretamente na gestão de pessoas (chefes, supervisores, gerentes), são líderes de uma unidade quando assumem a responsabilidade de estimular o uso das capacidades individuais de sua equipe é esse seu papel mais importante, extrair o melhor de cada talento.

Competência é Identificar e Utilizar Talentos Existentes

O uso do conceito de competência abriu caminhos para o interesse em uma gestão mais alinhada às necessidades e expectativas das organizações em congruência com indivíduos e seus talentos reais e não ilusórios, constatados individualmente.

O risco é uma opção, não um destino e, mudança é a única certeza nos cenários dos negócios do século XXI, ou seja, competência para administrar o risco e seus resultados.  Há uma consultoria internacional, que estudou e comparou grupos de diplomatas dos EUA, um deles formado pelos que tinham desempenho superior e outro composto por profissionais de desempenho médio, tentando encontrar características que diferenciavam estes grupos.

Estas características diferenciadas foram por eles chamadas de competências. Estudos sobre gestão trazem a competência como causadora do desempenho, da contribuição do indivíduo para a organização, e não no desempenho ou contribuição em si.

A grande competência essencial às equipes de trabalho, independente de cada Eneatipo das pessoas do time, é a de se relacionar bem com diferentes pessoas, com seus altos e baixos, com seus pontos fortes e fracos. Aí sim, cada tipo do Eneagrama, terá pontos fortes e fracos, com diferentes dons e desafios específicos para manter esse bom relacionamento, bem como performance; desempenho.

O termo deriva do latim “competentia”, que quer dizer acordo. Somente quando há um acordo, ou adequação do conhecimento (ou habilidade e força) à tarefa (ou resultado), pode-se falar em competência!

Podemos afirmar que competência é a “capacidade para resolver qualquer assunto, aptidão, idoneidade” ou “capacidade legal para julgar um pleito”reconhecer e descrever duas grandes visões básicas sobre o que seria competência:

PRIMEIRA VISÃO: as competências seriam os inputs, as entradas (conhecimentos ou características) que as pessoas colocam nas situações de trabalho e, que lhes permite alcançar um desempenho superior;

SEGUNDA VISÃO: as competências são os outputs, as saídas que uma pessoa produz, suas tarefas ou resultados que gera, a partir da mobilização de seu repertório de conhecimentos e habilidades, estando ligado mais fortemente ao resultado do trabalho em si.

A competência não pode ser reduzida a um estado ou conhecimento, dependendo de três variáveis: a pessoa (sua biografia e socialização); a formação educacional, e a experiência profissional e de vida.

Competência é um saber agir que é reconhecido pelos outros, num contexto profissional determinado (mais comum), que implica, também, saber mobilizar, integrar e transferir conhecimentos, recursos e habilidades.

São estas certezas que influenciam as competências individuais e coletivas envolvidas no processo de gestão e da tomada de decisão por parte da liderança nessa era do conhecimento. Peter Drucker definia competência como: “um saber agir responsável e reconhecido, que implica mobilizar, integrar, transferir conhecimentos, recursos, habilidades, que agreguem valor econômico à organização e social ao indivíduo”.

 Este conceito de competência é apropriado pois resume a competência, com um significado, que pode ser entendido como a “entrega” que um indivíduo fornece para a uma empresa. Saber e ter postura para conduzir o relacionamento no trabalho e na gestão de carreira.

 “Em suma, o termo ‘entrega’ refere-se ao indivíduo saber agir de maneira responsável e ser reconhecido por isto”.

 Esta é a verdadeira Gestão de Talentos Inteligente. Se não é… deveria ser!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *