Como Criar Engajamento na Equipe de Trabalho em 7 Passos

Seu ambiente de trabalho é Tóxico ou Saudável?

Ambiente tóxico é sinônimo de desengajamento e baixa produtividade.

Por outro lado, ambientes saudáveis, com os motivadores adequados, resulta em funcionários engajados, que trazem melhores resultados a empresa, como maior preferência e lealdade por parte dos clientes e melhor desempenho financeiro, o que por consequência,  pode ser revertido em inovação, segurança e crescimento sustentável.

 

7 dicas Simples e Infalíveis para criar Engajamento na Equipe de Trabalho

Sabe-se muito bem que a baixa produtividade muitas vezes se dá por pura falta de motivação (ou a completa desmotivação, repudia total). Quem se destaca para virar esse jogo é o possuidor da capacidade de encorajar os outros, nos momentos mais propícios. Esses são os grandes motivadores, são os reais líderes, sendo assim reconhecido hierarquicamente, ou não.

Para você que deseja que sua equipe tenha esse amparo de natureza emocional e que aumente a produtividade através do engajamento natural, confira algumas dicas essenciais para mudar o placar:

 

1 – Seja o Exemplo

Se você está na posição de liderança, estará sendo observado, não tem jeito. As pessoas irão se espelhar em você, desde as pequenas e se lembrarão de como você toma as rédeas. E como você faz isso é tão importante quanto o que você faz. Haja com transparência! Isso passa segurança e se você não souber se auto-motivar, não há como você exigir isso dos outros, há? Elas vão sentir sua paixão, seu entusiasmo e irão seguir o exemplo, automaticamente. As pessoas fazem o que você faz, porque o que você faz, fala mais alto do que o que você diz. Existe uma pesquisa que fala que aproximadamente 5% das pessoas…e 95% imita. Se você quer produtividade, seja produtivo, Simples assim.

 

2- Esteja Aberto

Você é líder, mas não um Messias. Não precisa de ninguém jogando rosas por onde passa e, absolutamente, não é intocável ou insubstituível. Não passe essa impressão, porque não há nada mais chato do que sentir-se intimidado por alguém que está ali para desempenhar um papel oposto. Esteja aberto a opiniões, idéias novas, compartilhar e principalmente em esclarecer, mostre caminhos. Muitas pessoas retém suas imprecisões por medo de serem humilhadas, desencorajadas ou serem vistas de forma negativa. Jamais desestimule a curiosidade, faça o contrário, estimule novas ideias, brainstorms, muitos gestores não entendem porque sua equipe não vai além, eu pergunto, mas eles proporcionam isso?  

 

3- Respeite a Individualidade

Cada pessoa é de um jeito. Não adianta ter uma equipe de estrelas se você as enxerga apenas como um todo, não como membros individuais e únicos. Assim, aprenda sobre o potencial de cada um, depois crie as estratégias para usar isso a seu favor e de seu negócio. As pessoas estarão mais satisfeitas e você também com os resultados. Metas são legais de serem colocadas, e sacando essa ideia de personalidade, será ainda mais fácil de serem alcançadas, é como num quebra cabeças, cada peça se encaixa melhor de um jeito. Não é muito inteligente querer que elas sejam mais flexíveis, mudando a natureza para a qual foram desenhadas, quem joga com elas é que precisa de flexibilidade.

 

4- Trabalhe os Pontos Fracos

Pontos fracos sempre existem, apenas não deve ser superestimados, nem tão pouco ignorados; devem ser trabalhados, assim como ocorre com os pontos fortes. Muitos projetos podem ter reviravoltas, existem pontos cegos no caminho, mas é seu trabalho segurar o leme para que o navio não vá para a direção errada. Organize os pontos fracos e aceite os erros como algo comumente – afinal, você mesmo já cometeu os seus, não é mesmo? Apenas identifique, mas busque formas de neutralizá-los e faça isso o quanto antes, não adianta empurrar eternamente com a barriga. A medida em que eles forem neutralizados, os pontos fortes serão naturalmente otimizados ao fornecer mais espaço a eles.

 

 5- Forneça as Ferramentas

Já dizia o velho sábio, “ensine a passar a manteiga no pão, nunca a faca”.  Há um equívoco em pensar que para ensinar é preciso mastigar toda a informação. As pessoas podem ser inspiradas por bons desafios (lembrando sempre do item 2 e 3, hein?). Forneça as ferramentas necessárias para cada projeto e determine seus padrões, mas cada um tem sua forma de fazer. A salada de frutas se diferencia pela diversidade que contém. É exatamente da unicidade de cada um que surgem as melhores ideias e a soma disso leva aos melhores resultados.

 

6 – Forneça os Feedbacks

A comunicação eficaz com os funcionários, a fim de orientá-los ou um feedback em momento oportuno, que é uma devolutiva importante fornecida aos mesmos, é essencial a toda equipe que se pretenda manter motivada e engajada.

No caso do feedback, uma dica valiosa é ser entregue permeada de perguntas; por exemplo, assim que o assunto foi estruturado, solicitar para que o funcionário tire as melhores opções. Assim, perguntar: O que você conclui com isso? Qual seria a melhor atitude que você poderia ter tomado, ou mais produtiva ou positiva? Como fará em uma situação semelhante?

7 – Identifique Talentos

Sempre que possível “coloque a pessoa certa no lugar certo”, ou seja, envolva as pessoas em atividades ou funções em que possam utilizar seu real potencial e talentos, direta o indiretamente. Esse item por si só, pode gerar sozinho o engajamento necessário, sempre que a origem do desengajamento for total incompatibilidade entre suas habilidades e a atividade exercida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *